22 October 2013

Voandinho!

Então que o tempo tá curto, e eu só estou aqui aproveitando pra dar um oizinho básico, e pra lembrar a todos que agora cultivarei a doce cor de palmito esquecido no fundo da geladeira. Again, se tudo der certo, volto pra contar. Mas posso afirmar que tem ligação com aquele Grupo de Estudos que eu entrei em setembro.

E quero pedir pra Elaine, que comentou no post sobre tattoos, me mandar e-mail no gracorrea1978@hotmail.com, pra gente ver o que dá pra fazer! Te atendo sim, xuxu!

No mais, continuo firme e forte e... poutz, tenho que voltar a trabalhar!

Beijos, fiéis leitores!

11 September 2013

Semana da Coxinha

Então que, pra mim, esta é a última semana do mês. Justamente aquela em que a gente fica sem dinheiro...

Minha reação ao ver meu saldo no banco

Aquela em que nosso programão de findi é assistir o Cine Aventura na Record...

Programão ver esse filmitcho de novo...

Aquela em que chovem convites pro cinema e a gente mente diz "não, valeu, não estou me sentindo muito bem /tenho que limpar a casa/tenho que estudar/preciso descansar/vou receber visita da minha avó de Jijoca de Jericoara"...

Menti prazamigue, que saco!

Vc comendo coxinha na segunda e na terça...

É justamente a recém-fixada SEMANA DA COXINHA!!! A semana em que não há nada além na sua conta do que o $$$ contadim para almoçar uma coxinha por dia!















Na 4a resolve comer também uma saladinha...

No resto da semana tá dando GRAZADEUS pq o pagamento tá chegando!
Então, eu estou na minha semana da coxinha! Boa semana da coxinha pra vcs tb!

04 September 2013

Dançando, Dançando, Dançando!!!

Então que se confirmou na 2a feira, a notícia que eu esperava:

...

Suspense...
...

...

...

...


FUI ACEITA NO GRUPO DE ESTUDOS VIRADA DE COPÉRNICO DA UÉFEPÊÉRRE (UFPR)!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Dançando, dançando


Uhúúúúúúúúúú!!!!!!!!!!!!!!!!!

Me aguenta!

Só pra explicar: vai ser UM ANO - sim, um ano! - de muito estudo, muita dedicação, noites "perdidas", enfim... mas UM ANO melhorando meu currículo para me especializar e, quem sabe, futuramente, deixar o povo doido dar aulas pros mais doidos que eu estudantes de Direito.

Por que isso é importante pra mim? Pq eu simplesmente AMO estudar!!! Já estava ficando maluquinha que há uns 6, 7 anos eu não fazia um curso, não assistia uma palestra, nada.

Daí eu conversando com o Fá, ontem, e ele vira pra mim e diz "não sei que questão vc faz de parecer burra pros outros. Vai nesse curso, estuda e brilha!!!" - fiquei indignada por ele falar que eu me faço de burra pros outros, mas pensando bem, putz, é verdade.

Modos que, agora, estoy em um grupo de estudo de pós-graduação. Fiquem ou não felizes por mim, eu estou...


Dançando, dançando, dançando

Mas eu sei bem que os meus leitores amigos estarão felizes por mim, SIM!!!



30 August 2013

#ObaObaOba

Então que hoje recebi uma notícia muito boa, mesmo. Se ela se confirmar, no próximo dia 04 conto pra vcs o que é.

Enquanto isso, meu estado de espírito é:


27 August 2013

Ah, esses atendentes em treinamento...

Então que sábado eu fui no shopping, em uma rede que costumo gostar, pq além de parcelar em 8x e pagamento pra dali a 3 meses, eu encontro calças sociais que ficam legais em mim. Enfim.

Me sinto A rhycah!!!

Chegando lá, insistiram muito me encheram o saco falaram um monte me convenceram a fazer uma migração de cartão, falando das vantagens, que o cartão ficaria pronto na hora (o que não aconteceu, diga-se de passagem), etc, e quando decidi fazer o bendito, o menino olha pra minha cara, pra minha identidade onde tem meu nome escrito, e pergunta, na maior inocência... "SEXO?"

Hahahahahaahaha, depois de ter sido atendida e ouvido um tempão sobre as vantagens da migração, ele vai apenas CONFERIR OS DADOS, eu falando várias vezes que "vou falar com o meu namorado", pensei se o meu nome super dá margem a dupla interpretação (peraí, Grasiele é homem ou mulher?), o menino me pergunta "sexo?"... Minha resposta na hora: SOU TRAVESTI.

Só pra vcs saberem, o menino super levou na boa, falei que foi um ataque da Grasiele Bracho (gêmea muito pior da Paola Bracho), e os dois caímos na risada... Ele ju-rou que NUNCA MAIS vai perguntar isso no cadastro de cliente, hahahahahaha!!!

E agora, vcs ficam com Grasiele Bracho, a gêmea muito pior da Paola Bracho!

12 August 2013

O que fazer quando os posts somem?

Então que, como todo mundo viu, os post têm sumido. Na verdade, eles estão bonitinhos, aqui no blog, mas todos os textos legais/engraçados/hilários/histéricos/politizados/nada a ver que eu escrevia com mais frequência, estão sumindo da minha cabecinha.

Que nem agora. Estou aproveitando um raríssimo momento de 5 minutos sozinha na taba, pra falar com vcs. Os posts que eu quero escrever sempre vêm pra mim... quando eu estou no chuveiro/no ônibus/na novena/no... deixa pra lá.

01 August 2013

Aquele Momento do seu Dia...

... Em que vc se pergunta: POR QUE FUI FAZER DIREITO???

POR QUEEEEEEEEEEEEEEEEEE???????????????????????
... E em seguida, se questiona: POR QUE fui optar pela área de Família????

POR QUEEEEEEEEE???????????????????????

... E daí... corre pro blog pq tá morrendo de saudades dos leitores e fala esse monte de bobagem.

É o fim, fazer isso.
Mas eu volto. Logo. Assim que eu terminar esse prazo.


13 July 2013

Luto

"E isso é tudo o que tenho a dizer sobre esse assunto, e não vou dizer mais nada."


25 June 2013

PROAGRO

Então que a minha amiga Gisa disse no blog dela que leu o meu bloguitcho (vivas!) e se animou a fazer algo em prol daqueles que chegam em nossos blogs (né, Lu? né, ?) através de buscas bizarras  dignas de internação às vezes, fofas ... diferentes.

No meu caso, foi chegarem aqui procurando "como ganhar dinheiro advogando" (ou algo assim) pausa para a MINHA merecida gargalhada. No caso da Gisa, foi o povo procurando por PROAGRO - aliás, querem saber, tá aqui, ó. No da Lu, o povo procurava pela Torre Elfo... é, aquela do drangao que passeava de rérli deivisson (ó que nome bonitim pro filho!). Agora, fico aqui me perguntando quais as outras pesquisas bizarras que os blogueiros dessa vida - não os profissionais, claro - olham nas estatísticas e... caem na risada.





Na boa, povo, se vc chegar aqui por causa de uma pesquisa bizarra  digna de internação... diferente, eu vou divulgar. E se vc se reconhecer na busca, trate de erguer a mão e dizer "presente!", pra gente ENTENDER pq vc chegou aqui!

20 June 2013

Manifestações

Então que eu tenho acompanhado essas manifestações pela TV. Não é falta de vontade de ir pra rua, não; nem aquela coisa de "ah, já tem tanta gente lá protestando, não vou fazer diferença"; é o tal do "mas peraí, o protesto é exatamente com QUAL finalidade?". O que não signifique, em absoluto, que eu não apoie/apóie, não pense sobre o assunto, não discorde das atitudes da Dilmitcha, não esteja cansada de tanta corrupção e de ver dinheiro público indo pelo ralo... Enfim. Problemas em casa tb têm ajudado a não me motivar a ir em manifestações, by the way.

Pois é sempre falo pois é qdo acabo um assunto e não sei mais o que falar. Tenho demonstrado meu apoio nos Facebooks da vida, e me surpreendo com as frases criativas e palavras de ordens gritadas pelos manifestantes. Se tem uma coisa que a gente aprende ao longo da vida é que, só depois de um tempo, é que vamos ter certeza que algumas escolhas só mostram frutos tempos depois. Por exemplo, que votar no Lula não foi uma boa ideia que eu seria uma péssima publicitária. Nunca consegui improvisar porra nenhuma nada na vida, sabe-se lá o porquê/porque. Ou seja, criar gritos de protesto e palavras de ordem não seriam naturais pra mim.

Mas eu pensando aqui, e olha só... Me lembrei da Casa dos Artistas, aquela que passava no SBT, lembram?

Isso era booom...
Bom. A primeira temporada teve entre os 4 finalistas Bárbara Paz, Supla, Alexandre Frota e Patrícia Coelho. O mais engraçado é que o que eu mais me lembro desse programa foi a brincadeira feita entre os 4... Quer dizer, a Patrícia Coelho, como boa libriana carente, se apaixonou pelo Frota e fazia tudo que ele pedia. Daí, começaram as musiquinhas:

"Inha, inha, inha/Escravinha do Frotinha. Inha, inha, inha/Escravinha do Frotinha" e "Vai escravinha/Vai bater bolinho. Vai escravinha/Vai fazer bolinho".

Vai daí, eu pensei e pensei e pensei... olha só, galera que vai nas manifestações, podem gritar isso também!

"INHA INHA INHA/ESCRAVINHA DO LULINHA! INHA INHA INHA/ESCRAVINHA DO LULINHA!"

"INHA INHA INHA/ESCRAVINHOS DA COPINHA! INHA INHA INHA/ESCRAVINHOS DA COPINHA!/ VAI ESCRAVINHO/VAI FAZER CAMPINHO/VAI ESCRAVINHO/ESQUECE HOSPITALZINHO!"

E nem cobro direitos autorais, nem créditos, nem nada...

18 June 2013

Sério, mesmo?

Então que pessoua chega aqui no blog procurando por "ganhar dinheiro advogando". É sério, isso?

Imagino alguém olhando as loucuras insanidades besteiras coisas que eu escrevo aqui, e REALMENTE acreditando, com força e fé, que eu ganho oceanos de rios de litros de algum dinheiro advogando. Não é bem assim... Até pq, vamos e convenhamos, a profissão tá com a imagem cada vez mais desgastada e menos valorizada. Pessoalzim deve me enxergar assim:


Quando na realidade, eu sou assim...

Chorando com as contas pra pagar...
Ou seja: não é comigo que vão aprender a ganhar dinheiro advogando, não!

12 June 2013

Shout It Loud

Então que SAPORRA dessa música não sai da minha cabeça desde hoje de manhã. Agora quero que ela grude nos cérebros dos meus queridos leitores pq, né, sou pessoa que não sofre sozinha.


Mas, pelo menos, não é funk nem qualquercoisauniversitário...

Nhóim!

Então que...


Nhóim pra vc que me escuta reclamar de curumim, cacique, índio - e ainda por cima fica do meu lado.
Nhóim pra vc que me escuta reclamar de LeLê e Au-Au e das respectivas.
Nhóim pra vc que dá risada das coisas idiotas que eu falo.
Nhóim pra vc que me empresta o ombro qdo estou triste.
Nhóim pra vc que tenta entender qdo acho graça de alguma coisa.
Nhóim pra vc que me fala que fazer dieta é uma porcaria, mesmo, mas que vai me fazer bem.
Nhóim pra vc que me chama de gata.
Nhóim pra vc que me escuta falar do Johnny Depp toda vez que sai filme novo dele.
Nhóim pra vc que não cansa de me ouvir falar de cada detalhe de cada esmalte da minha coleção.
Nhóim pra vc que fica triste pq eu comprei presente pra ti, e vc não comprou nada pra mim.
Nhóim pra vc que me dá colo, me faz chorar, dá risada pq me fez passar vergonha no shopping (sem nem estar presente!).
Nhóim pra vc que vai rir, pq sabe que estou chorando agora e tentando não borrar o make que fiz, com todo o cuidado e carinho, pensando em ti.

Feliz Dia dos Namorados, Fá!


(Sim, o vídeo é pra terminar de borrar o make que eu fiz... Virei panda na taba!)

04 June 2013

ComoFaz?

Sou adorável, não?
Então que curumim continua fazendo das suas. Tem me irritado, principalmente, por ficar metendo o narizinho pintado em conversas que: 1) não lhe dizem respeito; 2) para as quais NÃO CHAMARAM para palpitar. PE-OR, tem dado palpites com jeito de pajé velho, que manja das coisas, e como se mandasse alguma coisa na taba... 

Ando desconfiada que, SIM, curumim tem costas muuuuuuuuuuuuito largas e quentes, só não descobri ainda como, nem pq - caciques do escritório tratam curumim TÃO BEM, quase como se fosse índio vai entender! Não é aquela coisa de tratar bem curumim como... CURUMIM, saca?

Daí, eu falo QUALQUER COISA na taba, com outros índios, e lá vem curumim meter o bedelho. Pergunta que faço aos meus leitores queridosamados: COMO cortar as asinhas de curumim, sem me prejudicar? Chegar nos caciques, tendo em vista meu tempo na taba, ainda não é uma opção, pq né, tou a fim de ficar bastaaaaaaaaaaaaaante tempo por aqui.

Chegar DIRETAMENTE em curumim e mandar um "olha só, vc é curumim, eu sou índia velha, se liga pq na cadeia alimentar da taba, posso mais que vc" me dá cansaço só de pensar. E, sinceramente só aqui pra vcs, não sei se, na real, curumim não tá podendo mais que eu...

O que tenho feito em relação a isso é... manter a convivência pacífica, me mantendo na minha oca, e fazendo cara de paisagem cada vez que curumim vem querer dar seus pitacos e me chamar de gorda por telefone pra índio que não está mais na taba, que eu ouvi. Mas curumim que me aguarde, se acha que, pq estou no nível de segurar as pontas e AINDA não fiz barraco... ah, mô bein, é pq NÃO ME CONHECE!

30 May 2013

Blogs

Então que aos poucos eu vou colocando as leituras dos blogs em dia. Hoje, por exemplo, matei as saudades do Cristiano, lendo metade das postagens pra Mamis, e nós duas rindo... E eu ainda INTERPRETO os textos do Cris.

Gente, a Globo tá perdendo um roteirista incrível (ele) e uma atriz talentosíssima (eu)!

Agora, a Lu, a e a Gaiola das Loucas, eu continuo lendo na taba, mesmo. Faz meu dia ser mais fácil e melhor.


Tanto para Falar...

Então que faz um mês que estou em nova taba, com 2 novos caciques, índios e curumim. E, pela primeira vez na minha vida, estou tendo que SUPORTAR - sim, a palavra exata é essa mesmo - curumim metido a índio sênior.

Claro que, sempre que um novo índio chega à taba, ele é visto pelo resto da tribo como ameaça, e até ser enturmado, demora. Geralmente, curumins têm duas atitudes: desconfiarem do novo índio, como se ele fosse tirar algo dos índios velhos da tribo; e AMAREM o novo índio, trazerem-lhe colares e pipoca, numa nítida tentativa Babyssauro "precisa me amar".

Acontece que eu sempre tive um bom relacionamento com os curumins. Sempre curti muito ajudar curumins, pq eu mesma, enquanto curuminha, tive bons índios, compreensivos, e que me ensinaram bagarai. E não foi só no sentido de ensinamentos profissionais: aprendi a jogar pingue-pongue no meu primeiro estágio (segundo grau), aprendi como comemorar e valorizar aniversários dos coleguinhas no primeiro estágio da faculdade, conheci minha cidade por conta dos estágios e a economizar o dinheiro do ônibus pra pagar o refri na hora da sede (sim, eu camelava a pé por conta disso, e não me arrependo)... Fora os aprendizados de trabalho, mesmo.
Curumim, observe para aprender

Por isso, trato meus curumins meio como irmãos mais novos: dou dicas, protejo (quando é necessário), corrijo, chamo a atenção, passo a mão na cabeça e, uma vez, até quase quebrei o nariz de um curumim eu sou uma fera de pele macia/cuidado garoto, eu sou perigosa. Tive curumins folgados, preguiçosos, inteligentes, dedicados, questionadores, curumins que viraram amigos, curumins que queriam aprender... E guardo QUASE todos no coração.

Digo QUASE todos, pq curumim da nova taba está me dando trabalho. Curumim da nova taba se sente índio sênior e, desde que entrei lá, vem discretamente (ou nem tanto) me sabotando. Não atende minhas solicitações de trabalho. Não passa os recados pra mim, e quando entrega algum documento, olha só, não temos UMA anotação que explique a qual processo ele está ligado. Curumim chega na hora que quer e bem entende, e tem dias que me dá bom dia, tem dias que me ignora totalmente. Tentou VÁRIAS vezes me dar ordens - SIM, ORDENS - e quando percebeu que o charme indígena não iria funcionar, mudou de estratégia. E faz uma carinha de INOCENTE pros caciques, enquanto age assim...

Não sou adorável?
CLARO.QUE.ISSO.ME.IRRITA! Pessoa se faz de querida na frente dos caciques, e quando eles vão pras caçadas fica ligando pra EX ÍNDIO e me chamando de GORDA (com essas exatas palavras)? E depois vem SORRIR na minha sala, na minha frente, me chamando pelo apelido e de querida? Xuxu, vai juntar pena na floresta pra enfeitar seu cocar, que tou te sacando!

Demorou um pouco pra que eu conseguisse ver esse tipo de situação. Afinal, normalmente eu me ferro inteira, de verde-amarelo-azul-e-branco antes de ver as presas pingando veneno, e passo a servir um jantar completo, com direito a aperitivo, entrada, salada, prato principal, acompanhamento, sobremesa, cafezinho e licor, tudo de climão. Mas dessa vez, curumim, tou vendo sua carinha de adorável, fazendo só os trabalhinhos que quer, na hora que quer, e deixando de lado o que não lhe interessa ou não lhe dá "visibilidade" suficiente com os caciques. Tou sacando cada peninha que vc tenta juntar pra criar o cocar de cacique que acredita que já é seu. Tou sacando cala pedrinha que coloca no colar. E tou criando a minha virada pra tuuuuudo isso, desde já. Se liga, curumim.

17 May 2013

De novo: não morri

Então que, antes que os poucos bons que me seguem aqui neste bloguitcho resolvam desistir, eu já aviso: não morri. Estou em taba nova, menor, menos índios e caciques, com direito a curumim querendo ser cacique (já viram disso?) e ritual de comemoração da pesca, mas muito melhor.

Ainda não estou com energia suficiente pra chegar em casa e blogar, e ainda não quero abusar na nova taba - minha oca tem abertura estratégica, melhor evitar problemas. De qualquer forma, volta e meia estou visitando amigos em seus blogs.

Não se estressem, estou com 2 posts na cabeça e um deles é justamente sobre a história de curumim querendo ser cacique pra cima de moá. Fora isso... tudo tranqs.

Beijo no coração virtual de vcs!

11 April 2013

E não é que Funciona?

Então que eu fiz um mimimi geral no Face pq ninguém mais comentava aqui, ninguém mais achava graça dos meus posts, ninguém mais me telefonava ou mandava SMS ninguém me ama/ninguém me quer meu mundo caiu... Daí recebi comentários lendchos no post anterior, pq né, #TenhoOsMelhoresAmigosLeitoresEAmigosDoMundoTodo. Sinal que esse negócio de choramingar no Face funciona, hahahahahahaha. Mas é que eu andava carente de comments aqui, povo.

Faz um tempo que eu queria contar algumas "peripécias" minhas de quando era criancinha pequenininha aqui em Curitiba, que nem a Gê já fez no blog dela. Contei o caso pra mamis, e ela morreu de rir. Contei pro Fá, e, creiam-me ou não, tive que explicar a história... explicar a história engraçadinha pra ele não foi nada engraçado. Euzinha tinha um post toooooodo desenhadinho na minha linda cabecinha, todinho trabalhado no glitter, nos gifs e imagens engraçadérrimas pra ilustrar, mas daí... pra resumir, fiquei a semana santa inteirinha de cama, literalmente.

Sacanagem, né, Baby Grasi?!
Bom, tem várias historinhas que sempre me contam sobre a minha infância, que quando eu ouço, quase morro de rir. Tipo aquela em que a minha mãe sempre fala que eu OBRIGAVA o meu pai a ler o MESMO GIBI da Mônica TODAS AS NOITES, quando tinha uns 4 ou 5 anos. Pra tentar me tapear (já que eu não sabia ler), de vez em quando ele pulava uma ou duas páginas. Minha mãe devia ficar escondida em algum lugar, vendo a sessão leitura de toda noite, pq essa é a hora em que ela engasga, começa a rir e eu começo a rir junto. Bom, na mesma hora em que o meu pai pulava a página, eu virava pra ele e dizia "não, pai, vc pulou uma página, tinha um quadrinho que a Mônica falava isso isso e isso..." O meu pai ficava muito fulo comigo, afinal, se eu já sabia a historinha DE COR E SALTEADO, pq EXIGIA que ELE lesse a MESMA história todas as noites?

Também tem história de que eu queria me casar aos 3 aninhos. Com um menino do Jardim de Infância. De Vestido Vermelho (até hoje quero!). A pergunta que meu pai fez, na época, foi a mesmíssima quando o Fá e eu fomos conversar com ele sobre o nosso casamento: "sim, e quem vai sustentar vcs?". Só que, naquela época, o meu raciocínio era mais rápido, prático e simples. A minha resposta: "VOCÊ, oras!"... Nem quero imaginar a reação dele se eu desse a mesma resposta no ano passado, hahahahahahahahaha!

Tenho outras historinhas do mesmo naipe (uma, inclusive, meio racista, mas né, eu tinha uns 4 anos, e com 4 anos, normalmente, o ser humano não é racista, só não entende o que é diferente de si mesmo). Mas pra vcs verem como a minha cabecinha não melhorou muito desde o Jardim de Infância quando eu destroçava corações!

05 April 2013

Post Gay?

Sério que isso ainda rende, mona?
Então que esta semana foi meio "agitada" nos meios internéticos e/ou fofoquísticos dos famosos, foi não? Teve a entrevista com a Joelma do Calypso, comparando gays a drogados; nota à imprensa pela assessoria dela falando que não é nada disso; vídeo da moça falando "a verdade" estilo Sandy; Daniela Mercury assumindo que é gaya tem um relacionamento com uma moça jornalista; teve vídeo de um vc é o famoso quem? ilustre desconhecido FINGINDO que era gay pra mãe repercutindo muito... Enfim, sempre que tem a palavra "homossexual" no meio, o mundo ferve.

Bom, como não podia deixar de ser, e agora estou me achando sou blogstar tb sonho realizado!, resolvi deixar meu palpite a respeito do tema. Sobre o vídeo do rapaz que, pra zoar a própria mãe, resolve fingir pra ela que é o "namorado" que está ligando no celular dele, e que ele teria virado gay, pra ver a reação da mãe... Não sei se algum de vcs assistiu o vídeo, por isso não vou contar o final. Assisteaê:


Bom, eu li que foram tantos comentários, tantos que o menino "assumiu" que a mãe sabia que era armação e que estava fingindo. Pessoalmente, acho que se essa mulher tava só fingindo, Hollywood tá perdendo dois atores promissores! Mas, noves fora, voltemos à discussão do post de hoje. A atitude dela, quando soube que o filho supostamente seria gay, é extremamente plausível - provavelmente, seria a mesma reação que a MINHA MÃE teria, com certeza. Sério. Não vou dizer que, se eu estivesse no lugar dela, não faria ou faria a mesma coisa, mas em um primeiro momento, CERTAMENTE eu iria levar um susto, se meu filho chegasse e dissesse, muito machamente, "aê, mãe, seguinte, sou gay". E olha que não tenho nada contra gay, não só contra vampigay, só que cresci vendo meninos e meninas, e desenhos animados em que a Princesa casa com o Príncipe e são felizes para sempre! Ninguém NUNCA me falou, até os meus 19 anos, que era gay! Posso ter tido muitos amiguinhos gays quando tinha meus 7, 8 anos, e NUNCA SOUBE!

Me lembro até hoje a minha reação quando descobri que um carinha que eu gostava na faculdade aos meus 19 anos, portanto, me falou que era gay. Antes disso, eu não me incomodava com gays, pq eles faziam parte de um mundo muito distante do meu, geralmente eram amigos de amigos de alguém, com quem eu não convivia; ou então eram artistas! Lembram que eu NÃO SABIA que o George Michael era gay? Pois é. Eu me apaixonei por um gay superfofo, super inteligente, mega ultra carinhoso, que não dava pinta nem de lá nem de cá... Não era mega estiloso, nem era ultra relaxado. Não se preocupava com a aparência, nem ficava falando que esse ou aquele garoto eram gatinhos ou que eram viados.

Use seu gaydar, garota...

Um belo dia resolvi mudar/e fazer tudo que eu queria fazer me declarar pro rapaz, e ele falou, com MUITO E EXTREMO TATO, que era gay. Na hora, levei na boa, mas depois... cara, eu fiquei pensando, pensando, pensando, até me afastei dele por uns tempos, pq, sei lá, será que ele queria me dar um fora sem me magoar? Será que ele tinha certeza que era gay? Será, será, será... A minha reação foi esquisitaça, mas essencial pras minhas reações de hoje: se alguém que eu conheço me diz que é gay, eu levo um susto no primeiro momento, tento manter a naturalidade, que é: cara, eu não sabia que vc era gay, vou levar um tempo pra processar isso, por favor, tenha paciência comigo...

Eu até entendo que a Xoelma seja contra casamento gay, que ela acredite que os gays tenham que "se regenerar" e "dar orgulho aos pais"; mas ela foi muito infeliz quando deu a ideia de que alguém poderia DEIXAR de ser gay, como alguns viciados se afastam de seu vício - coisa que não é fácil, diga-se de passagem! E mais: Xoelminha tem que lembrar que é uma pessoa que lida com o público, e por isso, quase todas as suas declarações passarão pelo crivo e julgamento de muitas pessoas que não a conhecem pessoalmente. Ou seja, queira ou não, ela será julgada SIM, pelas opiniões que emitir sobre qualquer assunto polêmico (e não apenas esse).

Já convivi com pessoas que não concordam com o fato de que alguém se interesse, ame e se relacione amorosamente com uma pessoa do mesmo sexo; mas esse alguém JAMAIS falou que acreditava que essa pessoa poderia DEIXAR de ser gay, que essa pessoa poderia SE REGENERAR de sua homossexualidade, que essa pessoa passaria por um processo de CURA parecido com o processo de cura de drogados!

Esse alguém acredita que homossexuais poderiam ser felizes sem se relacionar amorosa/sexualmente com uma pessoa do próprio sexo, só isso. Não acredita que homossexuais sejam pessoas doentes, sem vergonha, psicologicamente alterados, tarados, safados, promíscuos, possuídos pelo Espírito do Glitter Maluco, nem nada do gênero. Falava simplesmente: "não consigo aceitar que uma pessoa tenha um relacionamento homossexual. Não concordo com o casamento gay. Não levo a sério quem não respeite o semelhante, seja pelo motivo que for, e use a homossexualidade do outro como desculpa pra justificar isso". Esse alguém justificava cada um dos "não aceito", mas ajudou muitos homossexuais com seu trabalho, sem discriminar nenhum deles. Sempre tratou homens e mulheres igualmente, sem fazer distinção alguma; e dedicou o máximo esforço para que essas pessoas fossem tratadas dignamente por todos.

Daí vem a Daniela Mercury, no dia seguinte à divulgação dessa entrevista, e assume um relacionamento homo. Beleza, que seja muito feliz. Mas eu QUASE achei provocação ela fazer isso. Quase. Com certeza, muita gente que não seria favorável à "saída do armário" da Daniela o canto dessa cidade sou eu Mercury aceitou melhor o fato, pela repercussão negativa que a Xoelmitcha causou um dia antes. Será que não?

Saldo do post: nem todo mundo vai aceitar uma notícia de alguém muito querido e/ou admirado é gay assim, como se ela estivesse falando que vai pedir uma pizza. Nem todo mundo concorda/aceita o homossexualismo; e muitos usam isso pra desrespeitar o próximo. Nem todo mundo é obrigado a aceitar/concordar com o homossexualismo do outro, e deve ter o direito a ter esse posicionamento respeitado por todos. Cada pessoa processa a notícia de que alguém é gay no tempo que lhe é necessário: alguns, como eu, levam pouco tempo; outros levam mais... e quem é homo deve ter paciência com o outro. Aliás, é um saco esse negócio de ter que ficar contando pros outros qual a sua preferência na cama. Afinal, como disse o Marcelo Nova: "eu não vim pra essa vida pra ser fiscal de c# de ninguém!"


27 March 2013

Histórias de Faculdade

Então que lembrei de uma história dos tempos da facul. Não é graaaaaaaaande coisa, mas o fato é que ela acabou influenciando a forma como eu escrevo no blog hoje em dia.



Quando eu era uma mera acadêmica de Direito, fiquei conhecida no Centro Acadêmico como “aquela que não faz piada”. Sei lá de onde saiu essa história/fama/apelido, sei que a galera me chamava assim pelas costas. Um belo dia, recebemos no CA o jornal do DCE do mês, e eu, fanática por leitura, comecei a ver as reportagens, ler as matérias, e me deparo especificamente com uma que chamou a atenção de todos os que estavam no CA: sobre o fato de quantas pessoas vendiam o corpo para pagar as mensalidades da facul.

Achei meio temerário colocarem nome, sobrenome, curso e foto dos estudantes para ilustrar a matérias (2 páginas inteiras sobre o assunto!). Bem, um dos entrevistados foi supostamente um estudante de Odonto, que dizia que era go-go boy e que a família era do interior, que ele dançava pra pagar a facul mas não fazia programa (só saía com uma ou outra senhora pra passear, hahahahaha), blá blá blá, whiskas sachê. Começou um bolão na hora, sobre se o menino seria gay e não assumia, talz, no que eu lancei o “bom, de um jeito ou de outro, ele deixa os pacientes de boca aberta”.

Eu sei que a piada era meio pronta, que não tem graça porcaria nenhuma, talz, mas o nosso vice presidente do CA ouviu, virou pra mim, arregalou os olhos, chamou a atenção de todo mundo e falou “Meu Deus, a GRASI fez uma PIADA!” – a galera caiu na risada, e aí se consolidou a minha fama de não piadista.

Pq eu tou contando isso aqui? Pq hoje em dia procuro fazer os meus posts o mais engraçadchenhos possível, pq eu mesma não sou muito engraçada na vida real - só atrás de um teclado, e com o estímulo certo, e com as pessoas especiais (tipo o Fá, a Luana, a Gê, a Ronny, a Tatá...) - ou seja, quando escrevo alguma coisa, eu penso em vcs, xuxuzada!

18 March 2013

Nomes de Bichinhos

Então que aqui em casa, a gente gosta de bichinhos. Tivemos alguns, ao longo dos 35 anos da família aqui em casa sim, nossa família mora no mesmo endereço há 35 anos!, dos mais variados tipos. Cachorro, pássaro, peixe, gatos... Tá, não foram tão originais assim, mas foram variados. E se tem uma coisa que a gente tem dificuldade aqui em casa, é pra dar nomes pros bichinhos.

Nosso primeiro cachorro veio quando eu tinha 4 aninhos. Uma bolinha de pelo, que cresceu, cresceu, cresceu e virou o Rusty, um pastor alemão capa preta e que deu susto na vizinhança, lembram?


Dublê de Imbatível Rusty!
Juro que não sei de onde apareceu "Rusty", só sei que por mais ou menos 12 anos convivemos com ele. Aí, minha mãe ficou grávida de LeLê, tivemos que fazer reforma na nossa casa, e não tínhamos mais espaço nenhum pro Rusty. Eu e Au-Au ficamos muito tristes por conta disso, pq a gente ADORAVA aquele cachorro mesmo sem cuidar direito dele.

Nesse meio tempo em que o Rusty estava aqui em casa, também tivemos passarinhos: eu ganhei um canarinho de um tio, e que eu chamava pelo nome do tio, irmão do meu pai. Minha mãe também ganhou um casal de periquitos do meu pai, e a gente deu o nome de Zico pro macho (sim, era época de Copa do Mundo e o periquito era verde e amarelo), e de Mônica pra fêmea (pq adoramos ler gibi e não lembramos de nenhum personagem feminino que usasse azul).

Enfim. Depois de muuuuuuuuuitos anos, finalmente, tivemos nosso primeiro gato - o Latiffo! Mas isso só aconteceu pq Au-Au tinha se curado de uma bronquite alérgica, e o Latiffo era um teste. Antes que alguém pergunte, o nome do gato foi dado pela família toda, quase uma convenção familiar. Era a época da novela "O Clone", Jade no auge do sucesso, e a gente pegou um filhotinho de gato, na certeza de que era menina! Aí, obviamente, o nome seria feminino.

Jade e Latiffa, lembram?
A nossa escolha natural foi da personagem principal da novela, a Jade, mas a minha mãe veio com um argumento EXCELENTE pra não "batizar" o bicho assim: "aquela fujona? NEM PENSAR, vai que essa gata ainda foge, vai dar problema, blábláblá. O nome vai ser Latiffa, que é a boazinha da história". Sério, esse foi o argumento "mega racional" que ela nos deu pra batizar o bicho.

Só depois de 2 meses é que soubemos que "Latiffa", na verdade, era "Latiffo", por conta da BRILHANTE idéia de LeLê em colar (sim, COLAR!) uma fitinha na cabeça do bicho, com cola quente (SIM, com COLA QUENTE!). Literalmente, no dia seguinte, descobrimos que se tratava de um macho, e que não atendia por outro nome que não fosse... Latiffa! Pausa para a sua merecida gargalhada.  Nem preciso falar nada, né?

Luquitcho!!!
Bem, não vou falar da nossa gata adotiva, Gatsy (sim, foi por causa da ração de mesmo nome) - e que posteriormente só atendia por "Dona Doida", como foi apelidada pela minha mãe. Também não falo da Negrinha, da Pitica (que dormia enquanto comia, e que o nome veio pq ela era pequenininha e o Fá me chama de "minha pitica"), da Amarelinha, do Negucho e da Valda (calopsitas de mamis e papis), do Yugi, do Luque (que a minha tia insiste em chamar de Lupe)...

Agora, eu e o Fá resgatamos uma filhotinha muito pequenininha, num domingo MUITO CHUVOSO, e que está até agora sem nome! E já tem quase 2 meses na casa do Fá. Ela parece uma leopardinha, toda rajadinha, adora um colo, fica andando atrás do Fá pela casa pedindo colo, e faz manha quando não consegue. Estamos procurando nomes pra bichana, mas o Fá é suuuuuuuper criativo pra dar nomes, tipo "Bichaninha", "Pretinho", "Nina", "Tico" e "Malhado", hahahahahahahahaha. Aveia e Mingau fui eu quem batizou, e adivinha se não demorou pra ele se acostumar com os nomes "pretensamente diferentes"?

Agora, conto com a ajuda dos meus queridos leitores bloguísticos pra dar nome pra Bichinha, pq ficar chamando ela só de "bichinha", "danada", "bichana" tá ficando demais.

27 February 2013

Férias

Então que eu tou de férias forçadas. Conversei aqui em casa, conversei com o Fá, e vou me dar de 2 a 3 meses de férias (afinal, desde 2008 eu só tenho folga no período entre 20 de dezembro a 05 de janeiro, ou seja, recesso forense).

Lógico que tem o lado bom (nunca acessei tanto o Facebook e assisti tanto He-Man desde que comecei a trabalhar); mas o que me preocupa MESMO nem é o fato de não ter a garantia de um valor todo mês caindo na conta bancária: é que, desde que saí da taba antiga (aqueeeeeeeeela, que rolou estresse com vários índios querendo ser caciques, lembram?), não tenho mais vontade de fazer nada - a não ser ficar deitada na cama, assistindo TBBT e, eventualmente, jogando FarmVille2 (vício ao qual fui apresentada pela minha própria mãe!).

Me inscrevi pra um concurso aí, nem sei direito qual, mas vou fazer, a despeito da minha total ojeriza por fazer provas (desculpa, Tatá, mas realmente não sei como vc aguenta fazer concurso!) e concurso público. Tamos aí.

Quanto à surpresa de Páscoa... gentem, é surpresa! Não vou falar antes da Páscoa, hahahahahahahahaha - mas é coisa boa, podem ter certeza.

Então. Passei pra dar um oi, mandar um beijo pra minha mãe, pro meu pai e pra vcs todos que lêem isso aqui...

11 February 2013

No Carnaval...


Sambando de Fio Dental!
Então que é Carnaval. Estou temporariamente sem meu notebook - mesmo estando em casa!, o que diminui um pouquinho as postagens.

Quick News: eu estava trabalhando em um escritório desde o final de novembro do ano passado, e me mandaram embora  me demitiram me escorraçaram dispensaram meus serviços na última 3a. feira. Fiquei triste e chateada, sim, pela forma como foi feita a coisa, e também pelo fato que ia deixar de trabalhar com pessoas incríveis e quase todas muito competentes. Lógico que tive alguns problemas, índio master querendo chegar a cacique o que conseguiu seu intento na 6a, conforme Facebook news. Mas, querem saber? No fundo, fiquei aliviada, pois eu passei TODOS os finais de semana irritada e cansada e  triste e nem eu mesma me aguentava.

Bibi, filha de Lelê, fez aniversário em dezembro. Ajudei a arrumar a festa, com febre, e na hora do parabéns, eu não estava lá. Por que? Simplesmente pq tomei remédio pra inflamação na garganta, estava cansada, e ninguém conseguiu me acordar. Minha mãe pediu para esperarem um pouquinho, para que eu também participasse, e a resposta que "alguém" deu foi "vamos terminar logo com isso, não vou esperar não" #VacaDefine.

Já estou na correria para conseguir um novo trabalho. Mas, considerando que eu não consigo sequer lavar louça sem ficar MUITO cansada (sério, parece até que trabalhei 8 horas seguidas, sem pausa pra almoço nem nada), acho que vou demorar até o final do mês para me dedicar a isso com o afinco necessário.

Sinto falta das minhas pitangueiras, e dos meus amigos bloguísticos. E a Páscoa tá aí, minha gente! Será que teremos (eu e vcs) boas surpresas?

27 January 2013

Tragédia em Santa Maria - RS

Então que teve esse incidente na boate Kiss em Santa Maria, Rio Grande do Sul. Então que eu tirei um minuto do meu dia pra rezar pelas almas dos que se foram, pra que a minha amada Nossa Senhora do Carmo os ajude, receba e console; e também pra que ela conforte os corações de quem ficou do lado de cá. Tirei outro minuto pra chorar por eles. Não conhecia ninguém que estava lá, nem a banda que estava tocando e perdeu um dos integrantes.

Me recuso a chamar o que aconteceu de "acidente". Acidente não foi. Nem de longe. Acidente pra mim é quando vc sai de casa, tomando cuidado (mínimo que seja), e PÁ!!! - acontece algo que vc não esperava, não previa, não tinha como. E tira o teu curso. Acidente foi o que aconteceu no Edifício Joelma, onde teve curto circuito no ar condicionado. Incidente, pra mim, é uma casa noturna impedir que as pessoas saiam de um prédio em chamas pq não pagaram a comanda. Incidente é quando o responsável pela pirotecnia de um show não pensa que, sei lá, TALVEZ se abrirem o show com fogos de artifícios em um lugar fechado, pode pegar fogo - afinal, né, vai ter o equipamento elétrico, vai que pega uma faísca nos fios, vai saber... Incidente é quando vc procura uma saída e vai parar no banheiro, e puxa vida, NÃO TEM UMA JANELA NO BANHEIRO. Incidente, pra mim, é um lugar que vai receber pelo menos SEISCENTAS PESSOAS não tenham saídas de emergência suficientes pra atender todas essas pessoas. INCIDENTE, PRA MIM, É UM LUGAR IRRESPONSÁVEL NÃO TER UM EXTINTOR DE INCÊNDIO QUE FUNCIONE. Se não me engano, motorista que ande com extintor vencido no carro leva multa, não?

Fogo, infelizmente não se controla. Nem o fogo do fogão a gente controla, basta uma distraçãozinha pra virar tragédia dentro de casa. Quantas notícias a gente já leu em que pessoas estão em casa, churrasqueando, e de repente se queimam, por uma distração?

Repito, reitero e reforço aqui, neste blog, o que já falei no Face:

"Alguns me perguntam se haviam amigos meus entre as vítimas de Santa Maria-RS. Quando digo que não, elas se espantam. Aí, eu me lembro: sou paranaense de nascimento, catarina de sangue... E paranaense, catarina e gaúcha de coração. Cada vez que houver uma tragédia em qualquer um desses estados, meu coração vai se apertar, e sofrer como se eu conhecesse pessoalmente cada um dos mortos, cada um dos feridos."

24 January 2013

Já Contei que Leio Playboy?

Sim, eu li e leria de novo...
Então que eu não lembro se já contei pra vcs que leio Playboy. Mas, tipo assim, LEIO MESMO, as matérias. Tá, eu olho as fotos também. Olho e acho algumas bonitas, tento ver onde usaram Photoshop, admiro mesmo.

Aí que esta semana, estava eu comentando com um colega do escritório (conto com detalhes do escritório mais adiante) que quase morri de vergonha quando precisei dar pause no aparelho que meu irmão Au-Au me emprestou * gentilmente *, e o descanso de tela é uma enorme bunda de fora. Tá, tudo bem, é uma bonita bunda, sem celulite. Mas é uma bunda de mulher, gente! Fui dar pausa na música, apertei o botãozinho e... BUM! Me aparece a bunda lá.E o chefe olha. E eu fico vermelha. E o chefe "pow, aí sim gostei de ver" meu chefe é mais novo que eu.

Aí, mencionei com esse colega (que chamarei de Tiozinho) que tinha no aparelho do meu irmão várias fotos da Playboy, hahahahahaha, que ia mostrar as fotos pra ele mas não podia ser no escritório, hahahahahaa, que tinha passado vergonha por conta disso, hahahahahaha, e que eu lia Playboy também. Pronto, Tiozinho me arregala um zolhão desse tamanho, pareceu que eu tinha dito que, sei lá, ia tirar a roupa na frente dele.

Acho absurda essa idéia que as pessoas têm de que mulher não pode ler Playboy ou olhar as fotos da mulherada "ao natural", sem ter intenções lésbicas, ou pra falar mal da bunda que nem caída é, que ódio da moça que estrela a capa do mês. Por que diachos eu não posso me interessar em ler a entrevista que o João Gordo, o Supla ou o Bolsonaro deram pra revista? Por que, Deus mio, eu não posso querer olhar a receita de bebida que eles garantiram que conquista a mulherada? Por que, amigos, eu não posso querer olhar as fotos da mulherada, pra ver se elas estão bonitas ou não? Por que só é válido eu achar que as mulheres têm corpão se estiverem, NO MÁXIMO, usando um biquíni ou uma lingerie sexy? Não é um tanto de preconceito?

Assim eu posso achar que ela tem corpão?
Au-Au também lê a NOVA Cosmopolitan. Revista dirigida muito mais para o público feminino do que pro masculino, concordam? Se vcs encontrarem um homem lendo Nova, não vão achar que ele tem interesses viadísticos na revista: vão achar que ele é super sensível e quer estar interado com o universo feminino, ou então que ele é muito macho e quer olhar as fotos da mulherada. Agora, se euzinha resolvo olhar a foto na Playboy, eu tenho interesses lésbicos na moça da capa?

Eu posso ler Playboy sossegada? Sem me preocupar com os pensamentos "Mmmmmmmmm, ela lê Playboy... Mmmmmmmmm, ela gosta de ver mulher pelada...MMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM, SERÁ QUE CONVENÇO ELA A IR PRA CAMA COMIGO E UMA AMIGA?" - e, gente, olha que na hora que falei pro Tiozinho que eu gostava de ler Playboy, senti todos esses pensamentos surgindo. Aí, Tiozinho é comprometido, pensou "opa! Nem rola sacanagem com ela! Tenho dona!". Pelamor, né? Ademais, só curto ir pra cama acompanhada do meu pijama, da minha camisola, e do Fá. Falei que sou Fássexual, e continuo afirmando isso! Mas não vejo nada demais em olhar fotografias bonitas de moças bonitas, estejam elas vestidas ou não. A foto é bonita? Tá no contexto? Valeu, olhei, achei bonito, tchau. Segue pra entrevista do Supla.

Mais alguém aí sente preconceito com isso?

23 January 2013

Imagina na Copa?

Então que, por razões profissionais, eu tenho ficado até UMA SEMANA longe da internet. Fico o dia inteiro sendo escravizada trabalhando, na frente do computador, SEM PARAR, pego ônibus pra voltar, estresse, estresse, estresse... Não tenho acesso ao meu e-mail, ao Face ou ao blog durante o dia. Chego em casa, só dou "oi" pra galera e pro Luque, deito na minha cama e não quero saber de mais nada.

Lógico que eu penso nos meus amiguinhos blogueiros e bloguísticos, mas não tá fácio vir aqui. Todo dia, penso na Lu, na Gê, na Rony, na Tatá, na Inaiê, no Cris, imagino como eles estão e as histórias que sempre melhoraram meu dia, e como sinto falta disso. Me perdoem, amigos, mas o fato é que tem me faltado forças pra muita coisa.

Enfim. Vamos ao que eu queria falar mesmo, o velho e bom "imagina na Copa?" - já falei aqui disso, não lembro em qual post e tou com preguiça de procurar. O caso é que, quanto mais perto da Copa vamos chegando, mais os problemas ficam evidentes, e também a preocupação geral da galera com "que horas vão ser os jogos? Pra eu saber se rola a dispensa do trabalho?"

Daí, eu assisto o Jornal da Massa (é, a TV do Ratinho, sim, e daí?) pela manhã. Pograminha de meia hora, que deveria ter UMA HORA E MEIA de duração mas tem o programa do Patati e Patatá que não tem como a gente suspender. Resumidamente, foi falado lá que a ANEEL disse que não há 100% de certeza que o Brasil não terá apagão, e o apresentador mandou um "então, o jeito vai ser marcar todos os jogos da Copa pra ocorrerem durante o dia", justamente pelo risco de acontecer um apagão DURANTE o jogo imagina só que lindo. Imediatamente, eu pensei e twittei pra lá "Mas, Denian, se os jogos forem noturnos, como fica a dispensa do trabalho da galera?" - e o que tem de gente aqui em Curitiba, pensando EXATAMENTE nessa situação... Antes, a gente só saía uma hora antes ou entrava uma hora depois dos jogos da última Copa (pq não estender esse patriotismo tb pras Olimpíadas?), e agora, que os jogos serão no Brasil?

Sem contar a propaganda que foi feita... no trio Amazônia-biquíni-praia. A gringaiada que virá assistir os jogos aqui em Curitiba vai se decepcionar: não temos mato mata, nem as curitibanas usam biquíni por aqui ainda mais em julho, a Gê sabe bem a razão, e praia, então, nem pensar. Vai ver por isso que as seleções que vão vir pra cá não são tão expressivas assim...

Enfim, deixa chegar a Copa. Na última hora, os problemas serão solucionados, mas duvido muito que seja pelo preço correto, sem superfaturamento, e com transparência.

Continuo querendo esmaltes importados e orelhinhas do Mickey!

07 January 2013

Só tirando dúvidas do post anterior:

Então que eu dei parabéns pra Tatá pelo noivado - pq né, ela merece, ainda mais se fosse um pedido mega maxi ultra romântico e não sem noção que nem o que eu quero, no Rodrigo Faro.

Daí, surgiram duas perguntinhas nos comments que não tem como eu não responder:

Não, Lu, eu não casei. :( Eu e o Fá usamos a aliança na mão esquerda desde os 3 meses de namoro. E, já respondendo à pergunta da Tatá: a gente usa na mão esquerda a aliança pq, qdo a gente chegou aos 3 meses de namoro, o Fá disse "a gente vai casar. Eu vou casar com vc". E eu disse "então, a gente devia usar aliança na mão esquerda". E ele "tá". Resultado? 7 anos com aliança na mão esquerda!!!

06 January 2013

Pedido de Casamento

Então que eu tenho que dar parabéns pra Tatá, pelo pedido de casamento. PARABÉNS, TATÁ!!! Estou aqui me roeeeeeeeeendo de inveja de vc, pq vc tem uma aliança dourada na mão direita e eu tenho uma prateada na esquerda. Em sua homenagem, e pra tentar compensar um pouquinho o que te fizeram, vou postar o vídeo de pedido de casamento que me deu mais inveja em 2012 - pq foi aqui em Curitiba, num shopping que eu adoro! Afinal, eu acho que aquele pedido no programa do Rodrigo Faro, que eu tanto sonho não vai rolar.

Felicidades!!!


Feliz 2013!!!


Lembrando que isso vai acontecer TAMBÉM com 2013. Roubei daqui
Então que já é Ano Novo e eu não tive vergonha na cara tempo pra postar aqui.

Sim, pra minhas pitangueiras!
Antes de mais nada, quero muito desejar um FELIIIIIIIIIIIZ ANO NOVO pra todos os meus amigos blogáticos, que tudo que lhes seja necessário, bom e adequado aconteça ao longo do ano; que vcs consigam superar as dificuldades com tranquilidade e serenidade; que tenham sucesso em seus empreendimentos mesmo que seja participar do BBB 13; que tenham saúde, ânimo, felicidade, alegria. E que lembrem de dar um pulinho aqui de vez em quando.

Para mostrar que este assunto acabou aqui
Bem, voltemos à nossa programação "quase" normal. Eu tenho acessado meus blogs amigos, facebook e e-mail com menos frequência do que em 2012, que acabou se revelando um ano não muito legal, depois de um tempo. Afinal, quando vc começa a largar os bets no trabalho, é sinal que algo não vai bem - acreditem, esse é o SEGUNDO sinal de que algo não vai bem na sua vida; o PRIMEIRO é quando aquilo que vc amava fazer passa a ser uma obrigação.

Resumindo a seção #mimimi de 2012: fiquei de saco cheio do chefe; de índio querendo ser chefe; de sacanagens e desaforos realizados por quem nem da família é (até o último dia do ano, diga-se de passagem); saí de 2 empregos; me decepcionei com pessoas; ponto e fim. #EsseMortoEstáEnterrado.

Tirando essas coisas, aprendi consegui me diverti algumas vezes, no final do ano.

Até Sheldon Cooper tem, e eu não! :(
Dei uma olhadinha nos blogs amigos, e pensei em uma nova categoria pro blog. É o "eu quero, vc quer, vamos trocar?" - ou seja, o bom e velho escambo. O tipo da coisa simples: eu sempre, desde criança, sonhei com aquelas abençoadas orelhinhas do Mickey, que só quem já foi pra Disney tem e nem venham me falar que não, pq EU SEI que TODO MUNDO que vai pra lá traz as orelhinhas, com a desculpa que é pro sobrinho/primo/vizinho de 6 anos... eu, pelo menos, assumo que é pra mim. Daí vc, leitor querido e generoso, faz um pacote turístico pra Disney em 348020844 prestações sem juros, e, SURPRISE, SURPRISE! - lembra de mim e do quanto eu quero essas orelhinhas desde a minha mais tenra idade (tio Sissi apresentava programas aos domingos de manhã, para crianças, e não era Chaves!). E compra! E me manda!

Como agradecimento, eu te mando, sei lá, um souvenir de pinhão daqui de Curitiba, pq vc me contou que veio pra cá quando tinha 5 anos, e conheceu uma menina que disse que, se um dia vc voltasse, provaria seu amor dando uma lembrança feita de pinhão. E vc ficou com isso na cabeça. E assim é que consolidamos nossa amizade, como já aconteceu comigo e a Luana, e comigo e a Geíza.

Quem topar fazer esse escambo, é só deixar o e-mail nos comments, pq esse (especificamente) não vou publicar pra te proteger. No e-mail, não vou pedir dinheiro, não: só o endereço certinho, a história do que vc quer daqui de Curitiba (se eu for visitar outra cidade, estado, etc, aviso pra poder receber encomenda!), e te mando!

Agora, hora de ir dormir, pq amanhã... amanhã é outro dia.

E, parabéns, Lu, pelos 2 anos de blog!!!