05 April 2013

Post Gay?

Sério que isso ainda rende, mona?
Então que esta semana foi meio "agitada" nos meios internéticos e/ou fofoquísticos dos famosos, foi não? Teve a entrevista com a Joelma do Calypso, comparando gays a drogados; nota à imprensa pela assessoria dela falando que não é nada disso; vídeo da moça falando "a verdade" estilo Sandy; Daniela Mercury assumindo que é gaya tem um relacionamento com uma moça jornalista; teve vídeo de um vc é o famoso quem? ilustre desconhecido FINGINDO que era gay pra mãe repercutindo muito... Enfim, sempre que tem a palavra "homossexual" no meio, o mundo ferve.

Bom, como não podia deixar de ser, e agora estou me achando sou blogstar tb sonho realizado!, resolvi deixar meu palpite a respeito do tema. Sobre o vídeo do rapaz que, pra zoar a própria mãe, resolve fingir pra ela que é o "namorado" que está ligando no celular dele, e que ele teria virado gay, pra ver a reação da mãe... Não sei se algum de vcs assistiu o vídeo, por isso não vou contar o final. Assisteaê:


Bom, eu li que foram tantos comentários, tantos que o menino "assumiu" que a mãe sabia que era armação e que estava fingindo. Pessoalmente, acho que se essa mulher tava só fingindo, Hollywood tá perdendo dois atores promissores! Mas, noves fora, voltemos à discussão do post de hoje. A atitude dela, quando soube que o filho supostamente seria gay, é extremamente plausível - provavelmente, seria a mesma reação que a MINHA MÃE teria, com certeza. Sério. Não vou dizer que, se eu estivesse no lugar dela, não faria ou faria a mesma coisa, mas em um primeiro momento, CERTAMENTE eu iria levar um susto, se meu filho chegasse e dissesse, muito machamente, "aê, mãe, seguinte, sou gay". E olha que não tenho nada contra gay, não só contra vampigay, só que cresci vendo meninos e meninas, e desenhos animados em que a Princesa casa com o Príncipe e são felizes para sempre! Ninguém NUNCA me falou, até os meus 19 anos, que era gay! Posso ter tido muitos amiguinhos gays quando tinha meus 7, 8 anos, e NUNCA SOUBE!

Me lembro até hoje a minha reação quando descobri que um carinha que eu gostava na faculdade aos meus 19 anos, portanto, me falou que era gay. Antes disso, eu não me incomodava com gays, pq eles faziam parte de um mundo muito distante do meu, geralmente eram amigos de amigos de alguém, com quem eu não convivia; ou então eram artistas! Lembram que eu NÃO SABIA que o George Michael era gay? Pois é. Eu me apaixonei por um gay superfofo, super inteligente, mega ultra carinhoso, que não dava pinta nem de lá nem de cá... Não era mega estiloso, nem era ultra relaxado. Não se preocupava com a aparência, nem ficava falando que esse ou aquele garoto eram gatinhos ou que eram viados.

Use seu gaydar, garota...

Um belo dia resolvi mudar/e fazer tudo que eu queria fazer me declarar pro rapaz, e ele falou, com MUITO E EXTREMO TATO, que era gay. Na hora, levei na boa, mas depois... cara, eu fiquei pensando, pensando, pensando, até me afastei dele por uns tempos, pq, sei lá, será que ele queria me dar um fora sem me magoar? Será que ele tinha certeza que era gay? Será, será, será... A minha reação foi esquisitaça, mas essencial pras minhas reações de hoje: se alguém que eu conheço me diz que é gay, eu levo um susto no primeiro momento, tento manter a naturalidade, que é: cara, eu não sabia que vc era gay, vou levar um tempo pra processar isso, por favor, tenha paciência comigo...

Eu até entendo que a Xoelma seja contra casamento gay, que ela acredite que os gays tenham que "se regenerar" e "dar orgulho aos pais"; mas ela foi muito infeliz quando deu a ideia de que alguém poderia DEIXAR de ser gay, como alguns viciados se afastam de seu vício - coisa que não é fácil, diga-se de passagem! E mais: Xoelminha tem que lembrar que é uma pessoa que lida com o público, e por isso, quase todas as suas declarações passarão pelo crivo e julgamento de muitas pessoas que não a conhecem pessoalmente. Ou seja, queira ou não, ela será julgada SIM, pelas opiniões que emitir sobre qualquer assunto polêmico (e não apenas esse).

Já convivi com pessoas que não concordam com o fato de que alguém se interesse, ame e se relacione amorosamente com uma pessoa do mesmo sexo; mas esse alguém JAMAIS falou que acreditava que essa pessoa poderia DEIXAR de ser gay, que essa pessoa poderia SE REGENERAR de sua homossexualidade, que essa pessoa passaria por um processo de CURA parecido com o processo de cura de drogados!

Esse alguém acredita que homossexuais poderiam ser felizes sem se relacionar amorosa/sexualmente com uma pessoa do próprio sexo, só isso. Não acredita que homossexuais sejam pessoas doentes, sem vergonha, psicologicamente alterados, tarados, safados, promíscuos, possuídos pelo Espírito do Glitter Maluco, nem nada do gênero. Falava simplesmente: "não consigo aceitar que uma pessoa tenha um relacionamento homossexual. Não concordo com o casamento gay. Não levo a sério quem não respeite o semelhante, seja pelo motivo que for, e use a homossexualidade do outro como desculpa pra justificar isso". Esse alguém justificava cada um dos "não aceito", mas ajudou muitos homossexuais com seu trabalho, sem discriminar nenhum deles. Sempre tratou homens e mulheres igualmente, sem fazer distinção alguma; e dedicou o máximo esforço para que essas pessoas fossem tratadas dignamente por todos.

Daí vem a Daniela Mercury, no dia seguinte à divulgação dessa entrevista, e assume um relacionamento homo. Beleza, que seja muito feliz. Mas eu QUASE achei provocação ela fazer isso. Quase. Com certeza, muita gente que não seria favorável à "saída do armário" da Daniela o canto dessa cidade sou eu Mercury aceitou melhor o fato, pela repercussão negativa que a Xoelmitcha causou um dia antes. Será que não?

Saldo do post: nem todo mundo vai aceitar uma notícia de alguém muito querido e/ou admirado é gay assim, como se ela estivesse falando que vai pedir uma pizza. Nem todo mundo concorda/aceita o homossexualismo; e muitos usam isso pra desrespeitar o próximo. Nem todo mundo é obrigado a aceitar/concordar com o homossexualismo do outro, e deve ter o direito a ter esse posicionamento respeitado por todos. Cada pessoa processa a notícia de que alguém é gay no tempo que lhe é necessário: alguns, como eu, levam pouco tempo; outros levam mais... e quem é homo deve ter paciência com o outro. Aliás, é um saco esse negócio de ter que ficar contando pros outros qual a sua preferência na cama. Afinal, como disse o Marcelo Nova: "eu não vim pra essa vida pra ser fiscal de c# de ninguém!"


3 comments:

Cristiano said...

Desconfiei que um filho de um amigo nosso era gay... ai conversando com minha esposa a gente meio que quis q ele falasse e acabasse com a duvida. Mas ai eu pensei melhor e conclui eu nao "exigi" disso da irma dele pq vou "exigir" isso dele? Besteira tudo isso.

Sobre a Daniela Mercury me soou muito artificial a entrevista dela no fantástico... muito!

Ge Bolognani said...

Depois do puxão de orelha da diva carente.... já tinha lido, comentado mentalmente e até tentado comentar. Daí acabou a lux aqui (bateria) e esqueci...
Sobre gaydares, acho que não vim com esse aplicativo instalado (já disse isso em algum lugar... ou foi algum coment mental?) e acho bom. Sinceramente... é uma questão menor que não me interessa muito. A não se que tivesse sido dispensada por um pretendente. Mas daí... ainda bem que ele era gay, né? Menos pior de ruim!
Beijooooooooooooooooooo!

Luana said...

Eu acho que esse assunto todo ja deu o que falar.. chega! tanta coisa mais importante no mundo pra se resolver o povo ta la discutindo se gay "ta certo" ou nao...
Bixo... Se Deus acha isso errado os "gays" que se resolvam com Ele depois... Somos todos cidadãos, pagamos impostos igual... vamos presos igual se matarmos alguem... entao porque nao permitir que eles casem no civil?
Cada um faz com seu kooh o que achar melhor...