24 May 2012

Moda Plus Size?

Então que não é segredo pra ninguém que eu sou... "fora do padrão" de beleza. Fofinha, cheinha, gordinha, rechonchuda, com curvas... Todos esses adjetivos já foram utilizados pra definir o meu corpo. Desde pequena, sempre usei de roupas em tamanhos maiores do que o que era "previsto" nas lojas de roupas. Com 12 anos, eu já usava o tamanho 16, simplesmente pq o 12 ficava apertado na região da barriga.

E essa história aí de roupa que serve é um saco. Passei a detestar comprar roupa, simplesmente pq quando eu ia/vou comprar uma, as que eu gosto NÃO ME SERVEM! Já tentei dieta, já tentei exercícios, já tentei cápsulas de farinha de feijão branco... Enfim. Tentei de tudo um pouco. Claro que já obtive resultados, alguns satisfatórios, outros nem tanto... Então, continuo na busca pelo peso "ideal".

Nesse meio tempo, eu preciso me vestir, pq né, ainda não sou advogada em praia de nudismo nem pretendo ser. O problema é: como é que uma pessoa de 1,52 de altura e pelo menos 20 quilos acima do que se espera como "aceitável" pode usar terninhos, roupas bonitas, sociais, com os modelitos que tenho visto nas lojas por aí?

Gente, tenho que confessar que gosto muito dos modelos e padronagens que a C&A, a Renner e a Riachuelo fazem. Principalmente na área que a maioria chama de urban - ou seja, moda urbana, pra trabalhar, e que é possível sim ser usada por pessoas que PRECISAM, por força da profissão, se vestirem apropriadamente. Camisas, calças de oxford, sapatos de salto alto - eventualmente uma sapatilha - e blazers são quase que a minha armadura diária.

O problema é que quando chego nessas lojas, as roupas que eu acho que têm as estampas legais, o modelo legal, que vai valorizar o corpo e fazer a ilusão de ótica de que na verdade eu sou mais magra/alta/linda/maravilhosa absolutaEuSouStephany, do que sou na vida real, NÃO EXISTEM essas roupas! Mesmo as que são em tamanhos maiores (leia-se, 46 e 48) não são maiooooores, assim. São MAIS COMPRIDAS! SÓ. Ou seja, eu já tenho que fazer barra, normalmente, em calças. Não compro mais saias nem vestidos por conta disso, e agora, pra ajudar, AS BLUSAS também estão somente com mangas mais compridas!

Aí, um dia, fui procurar uma peça de roupa no shopping, em uma das lojas que eu falei ali em cima, e quando eu fui perguntar pra funcionária se não teria um número maior de uma determinada calça que tem um preço bom e era REALMENTE muito bonita, ela me falou com uma cara de pena "desculpe, mas nós não temos numeração superior a essa". COMOASSIM? Que falta de consideração! Gente, eu não posso entrar em uma loja de lençóis, fazer um buraco pra passar a cabeça e fingir que estou de vestido, simplesmente!

Prazer, Preta Gostosa Gil
Aí eu leio que a Preta Gil vai lançar uma linha de roupas em parceria com a C&A. Fiquei super ultra animada, pq se tem uma coisa que NINGUÉM pode negar, é que a menina/mulher/moça tem atitude e se veste super bem. E que não tá nem aí pro que acham do corpo dela, faz a linha "eu quero é ser feliz, sou bonitona, gostosa e canto bem". Ela representa o tipo de pessoa que eu sou, que não encana com o fato de estar "fora do padrão" de corpo que vemos em revista. Juro que me identifico muito mais com ela do que com a Gisele Bundchen. E se a linha de roupas que ela vai lançar não tiver estampas medonhas, cores estrambólicas, modelagens esdrúxulas, que sempre vejo em lojas quando a roupa passa do tamanho 44, gente, EU COMPRO O ESTOQUE! Pq se tem uma coisa difícil nessas lojas de roupas, é achar uma roupa bonita, pro meu tamanho.

Quem sofre com isso, mais do que eu, é a minha mãe. Sério. Pq por mais que ela escolha, escolha, escolha... nunca tem a roupa que ela quer, com o preço que a gente pode pagar/está disposta a pagar, no tamanho que ela precisa. E, por favor, lojas, lembrem que não é pq a gente está acima do peso, que precisa usar roupa com estampa de lençol ou em cores berrantes ou exclusivamente PRETO.

Esse povo que faz roupa pra gordo - salvo honrosas e raras exceções, tem mania de achar que, pq a gente está gordo, tem que sair anunciando nas roupas por aí. Aí, fazem peças horrorosas em cores mais horrorosas ainda, e que fazem com que a gente se sinta aqueles cones laranja de trânsito. Daí a gente reclama que vira ponto de referência em shopping e não sabe porque...

8 comments:

Sandra said...

Super interessante este post!! A cobrança que o Brasil faz para que todo mundo tenha um determinado "padrão de beleza" é surreal!! Tomara mesmo que a coleção da Preta Gil seja bem legal. Uma vez eu vi uma entrevista em que a Preta disse que antes de ser bem resolvida com o corpo ela comprava milhões de sapatos, ai na terapia ela descobriu que essa fissura por comprar sapatos era porque sapatos eram a única coisa que mantinham o mesmo número e ela não sofria para comprá-los como fazia com as roupas. Parece que nos EUA a realidade é diferente: as roupas plus size costumam ser bonitas e fáceis de comprar... pena que não dá pra viajar sempre pra lá pra fazer compras. Bjsss

Geíza Bolognani said...

Fazer compra é um stress msm!
Ainda mais quando a gente não está dentro do padrão. Tá, vc me conheceu, deve estar rindo... mas houve um tempo em que estive 13 kilos acima do meu peso (e só por referencia... grávida eu engordei só 10). Foi fogo arrumar roupa. Engordo fácil pq adoro ADORO comer, e como mesmo!
Foram 2 anos pra "cair a ficha" que não dava pra continuar assim... e outros 2 pra conseguir me livrar do "excesso de gostosura". Apesar de tudo, valeu. Só de nunca mais ver essas vendedoras chatas dizendo que não tem 48 na loja, valeu!!!
Força na peruca, amiga!

Cambaxirra said...

Eu também não entendo essa de as roupas para pessoas que são mais cheinhas terem estampas esdrúxulas e cores berrantes. Parece que, porque a pessoa engordou, ela virou árvore de Natal? Sem falar no despreparo dos vendedores, sem comentários. Só achei estranho mesmo você falar nas roupas da C&A e Renner. Aqui, no RGS, acontece exatamente o contrário. Tudo tem tamanhos grandes (42 que parece 44, 46 que parece 48) e se você for assim, um 40 ou 42, certamente terá que ajustar muito as roupas se comprá-las. Eu uso 38 hoje (já fui acima do peso também, para minha altura era difícil achar roupa legal, como se sofre, pô) e quase nunca consigo comprar nada nessas lojas. Ou é 8 ou 80, né? Que saco!

Inaie said...

eu to gorducha tambem. e qdo viajo, compro colares ( tenho centenas), sapatos e bolsas. pq roupa me dá raiva comprar pq eu nao gosto do que posso usar e nao gosto do que teoricamente me "serve".

Nada cai bem. fico sempre parecendo um bolo.

E as lojas que tem roupas lindas pra gorduchas como eu, sao uma fortuna e eu me recuso a pagar.

Resumindo: to sempre com a mesma roupa. :-(

velha e disléxica; said...

olha, como estudante de design de moda tenho que te dizer que você está certíssima. faltam muitas empresas que invistam em roupas de modelagens maiores (e que sejam bonitas). tem raras exceções, como vc disse... às vezes a melhor solução é procurar uma costureira que faça sob medida (fica aqui a dica)
e olha, essa história da preta gil, não sei não... porque ela vai desenhar as peças, tudo bem. mas quem fará a modelagem provavelmente serão os responsáveis da própria empresa, no caso a C&A, não? ou seja, os tamanhos vão continuar a mesma bosta :/
aiai eu adoro estudar moda, mas esse negócio de tentar padronizar todo mundo, fazer as mulheres parecerem anoréxicas, ditando que o que está fora disso é feio, são umas das coisas que me deixam puta da vida nesse ramo.
enfim, torço por ti, hahaha. vou dar uma conferida na coleção quando lançar, fiquei curiosa ;D

bjssss

Retrato em Branco e Preto said...

Concordo com a Inai. Adoro comprar sapatos, adoro comprar acessórios, mas roupa definitivamente não é o meu forte. =/

Comprar roupa para mim é sinônimo de stress desde que eu me entendo por gente. Tenho horror. Detesto.

Também sou pequena como você e durante muito tempo estive acima do peso., Por isso também sofri demais com essa nossa falta de opção. Nada servia e o que teoricamente servia sempre precisa de ajuste por causa do meu tamanho. Para falar a verdade tudo precisa de ajuste até hoje.

Eu até queria me vestir bem, eu até tento, mas a gente sabe o quanto é difícil e o quanto as opções são escassas.. =/

Adorei o blog!

Cristiano said...

Ow que jogada de marketing da C&A... vai vender mto!

Fulana said...

sei bem como é! e olha que tenho um estereotipo bem mais "padrão", mas não sou um cabide. então já viu, vivo com problemas, todas as blusinhas maneiras só têm no P! e até o G fica meio pequeno em mim!
lembrei de um seriado que eu adoro e combina com sua historia: drop dead diva, de uma advogada gordinha mas toda charmosa, e que enfrenta varios problemas por isso..