29 May 2012

Cachorros

Filhotinhos! Pastorezinhos alemãezinhos de capinhas pretinhas!
Então que na minha infância, assim como vários coleguinhas, meus pais nos presentearam com um cachorro. Na verdade, tivemos ALGUNS cachorros em casa, mas nunca mais do que 2 ao mesmo tempo. Tivemos uma pretinha que inicialmente era pra ser Lassie, só que de tão atentada e sacana, a bicha virou Laica.

Aí que eu tava lendo o blog da Cambaxirra já que a Luana tá na China, e tem lá um post sobre uma cadela pitbull que foi morta com um tiro na cabeça pelo vigilante do local.

Longe de mim querer entrar nessa discussão. Logo eu, que tenho medo de cachorro grande e de galinha e de calopsita certo, podem parar de rir, agora? Nenqs. Deixo a discussão coitada-da-cachorrinha-vigilante-despreparado-desalmado-mas-ele-tentou-se-defender-blá-blá-blá-whiskas-sachê pra quem tem paciência pra isso. Não foi pra isso que eu abri o blog hoje.

Pastor Alemão Capa Preta
Tem uma história engraçada do nosso passado pra contar. Assim, lá em casa, quando eu era quiancinha pitiquininha, a gente tinha um pastor alemão capa preta, o imbatível Rusty! Era o cachorro mais bunda mole e bobalhão que a gente já viu, só tinha tamanho. Era um filhotão, um baby dog no corpo de um cachorro adulto a versão canina da Xuxa, que às vezes age que nem criança.

Mesmo assim, pastor alemão de capa preta é um cachorro lindo de se ver grande, com uma boca tão grande pra te comer melhor, que mesmo a gente sabendo que ele só queria brincar, lamber, e que não ia fazer nada de mais grave além de nos deixar melecados até a alma, ninguém tinha muita coragem de chegar perto dele.

Aí, né, o coitado ficava preso nos fundos de casa, mesmo com amor, carinho, comida e tratamento quase VIP. Doía no coração ver o bichão preso, sem muito espaço, mas gente... Se nós, que éramos os donos, tínhamos medo de que ele pudesse machucar alguém sem querer, por conta do tamanho dele, imagina quem não convivia diariamente com ele?

Pois bem. Um belo sábado de sol em Curitiba milagre!, resolvemos aproveitar o fato que meu pai estava lavando o carro, e fomos dar banho no bichão. Sabonete, shampoo, água, mangueira... Tudo que o danado tinha direito. Prendemos o Imbatível Rusty no portão, pra que ele não fugisse, e começou a brincadeira. Molhamos, lavamos, enxaguamos, faltou só centrifugar e botar ele no varal pra secar. Uma festa!

O problema é que nós, crianças inocentes, não tínhamos noção da força do bicho, e não prendemos ele muito bem, pq né, "o bicho é manso", "o bicho é bobo", "o bicho NUNCA vai fugir". Assim que terminamos de enxaguar o Imbatível Rusty, não lembro como, ele se soltou pra se chacoalhar de toda aquela água, e... FUGIU. Sim, senhoras e senhores, o bicho fugiu!

A rua estava cheia de gente em frente às suas casas, tomando uma cervejinha, aproveitando o final de semana, conversando... Agora. Vcs imaginem a situação: neguim tá lá, sentadim, bonitim, relaxandim, de repente aparece, do nada, um cachorrão policial (pra quem não sabe, a raça Pastor Alemão Capa Preta é a mais utilizada em ações policiais) latindo, correndo... que cê faz, amigo? Ainda mais com gente correndo atrás e gritando? CÊ TOMA UMA ATITUDE DE MACHO!

O problema, no caso, foi que a atitude de macho tomada pelos nossos vizinhos foi... incomum. Não tinha como eles pararem o nosso Imbatível Rusty assim, na manuda, na cara e na coragem. Então... foi só galerê subindo em árvore e subindo em poste e saindo correndo pra dentro de casa deixando cerveja, salgadinho e cadeira do lado de fora da casa! Detalhe: eram os anos 80. Cores neon. Qualquer um tinha um shorts do Restart. Agora, imaginem a cena: cachorro molhado descendo a rua correndo e latindo, e povo se pendurando em árvores e em postes de shorts amarelo-marca-texto, rosa-Restart e laranja-neon. A gente conseguiu pegar o nosso Imbatível Rusty quase no final da rua, ele todo felizão, e a gente só no "desculpa, desculpa, ele não morde, só queria brincar, desculpa, desculpa"...

Lá em casa a gente morre de rir até hoje com essa história. Mas pensa bem: se vc vir um cachorrão na rua, correndo, três pessoas correndo atrás, ele latindo, vc vai achar que ele está felizão? Nem tanto ao céu, nem tanto à terra, né, môbein? O cachorro pode ser manso, sim. Mas vc nunca sabe.

8 comments:

Karine said...

hehehehehehehehehehehehe
Cara, imaginei a cena e ri alto aqui sozinha!

Geíza Bolognani said...

Rolando de rir... tbm tivemos um pastor quando criança lá em casa (era belga e não capa preta)que além de manso e bobo... acho que era bicha, rs. O Ringo, altas histórias, um dia te conto. Bjks.

Cambaxirra said...

Menina, eu ri MUITO com essa história! Principalmente pq antes de ler tudo, quando vc falou na atitude de macho, eu imediatamente pensei: eu subia numa árvore! Hahahahahaha E não é que subiram mesmo?
E concordo com você, mesmo. Como vc citou seu cachorro "de agora" lá no blog, a gente não conhece o bicho, não sabe o que ele vai fazer. Na dúvida, eu corro! :P
Beijo!

Cristiano said...

Eu era um que subiria hehehe

Gazzy1978 said...

Cara, tem um detalhe dos vizinhos dos shorts Restart que eu só não coloquei pra não ser acusada de racismo - o problema é que esse detalhe deixa a cena MAIS engraçada ainda!!!

Cambaxirra said...

Ah, assim não vale, só para deixar a gente morrendo de curiosidade???
:P

Luana said...

Volteeeeei!!!

Eu adoro cachorrao!! meu primeiro foi ul doberman, LINDO!!! Morreu achando que era poodle... Nunca machucou a gente...

Fulana said...

to tendo um treco de tanto rir!