14 March 2012

Lembram dos Estagiários?

Então que, como todo mundo leu aqui, eu adoro meus ex-estagiários. Sério. Já tive a minha vida facilitada em muita coisa por conta deles. Mas, se tem uma coisa que eu não abro quando se trata de estagiários, é a vontade de aprender e, principalmente, SENSO DE RESPONSABILIDADE.

Assim: se eu falo que tem prazo, tem que saber pra quando é. Se não sabe, vai lá e descobre sozinho. Ainda assim ficou com dúvida? PERGUNTA. Simples assim. Se eu coloco na mesa/gaveta/escaninho uma tarefa pra fazer, por mais chata que ela seja, TEM QUE FAZER. Não interessa se é pra fazer uma apelação, um recurso especial, uma carga, tirar cópia de 20 páginas ou grampear 2015354 documentos em papel A4: tem que fazer. Pode reclamar, achar chato, não gostar, me achar uma megera... MAS TEM QUE FAZER.

Supervisionar estagiário não é tarefa pra qualquer um: o supervisor tem que ter paciência, tolerância e vontade de ensinar. E tudo isso, eu tenho.

Tem que ser paciente quando o estagiário vem com pergunta estapafúrdia. Tem que ter paciência quando ele não conseguiu fazer carga pq tinha outros 895 processos pra ver, e uma senha número 9552964 e o visor ainda estava na 54...

Tem que ser tolerante quando ele protocola uma petição na vara errada, e quando vê - putz, véi!, já foi. Também há que se ter tolerância com estagiário quando ele encontra os amigos no fórum, e como está um calor dos infernos, todos vão tomar uma coca gelada; e aí ficam batendo papo e contando piada por uma hora, e o estagiário chega quase na hora do escritório fechar.

Tem que ter vontade de ensinar. Não assim, de mão beijada, né, que é pro bicho aprender. E estagiário só aprende as coisas... fazendo. Na prática, sofrendo um bocadito. Mas eu ensino: acompanho a ida no fórum; fico em cima enquanto ensino a fazer petição de juntada; ensino a contar prazo; ensino a protocolar eletronicamente as petições; mostro onde tem que procurar as coisas nos Códigos; tiro dúvidas de matérias que eu sei... Levo em audiência, quando dá... Tudo isso.

Às vezes, eu também compro bala, refri, suco e salgadinho pq, né, estagiário vive sem grana. Eu fui estagiária de voltar pro escritório A PÉ pra ter $$$ pra comprar uma coca. Já tive que pegar dinheiro do bolso e pagar xerox de processo - mas meus chefes sempre me reembolsaram.

Aí, quando eu PRECISO e INSISTO que o estagiário faça alguma coisa, e ele NÃO FAZ, no tempo que eu dei... cara, fico p@!@# da cara. E faço o serviço que era dele, ao invés de pegar no pé. E perco o MEU TEMPO, que deveria ser gasto em outro serviço (sei lá, peticionando, atendendo cliente, acompanhando audiência, essas coisas) escaneando documento e assinando e protocolando eletronicamente.

Mas o pior não é isso: o pior é quando eu já pedi para o estag fazer O MESMO TRABALHO, por no mínimo TRÊS VEZES. Na mesma semana. Isso me f@#$ o humor.

Eu sei que separar documentação, escanear documento, assinar digitalmente não é exatamente o serviço mais legal do mundo, quando se é estag. Legal é ir no fórum, conversar com o povo enquanto espera ser atendido; e também peticionar - sonho dourado de todo estag iniciante. Serviço interno de escritório de advocacia, na grande maioria das vezes, É UM PÉ NO SACO. É separar documento, é tirar cópia, é cadastrar cliente e processo em programa... às vezes, é comprar refri e doce pro advogado guloso que fura a dieta pq tá com um mega problema pra resolver. Mas, cara, assim como a gente PRECISA de faxineira pra dar uma geral no escritório; assim como a gente PRECISA de secretária para anotar audiência, controlar agenda e lembrar a gente de aniversário de cliente; a gente PRECISA de estagiário pra ser um pouco burro de carga.

Eu, às vezes, me decepciono com algumas atitudes de estags. Mas nada me decepciona tanto, e me deixa tão indignada como corpo mole. Cara, não quer, não pode, não sabe fazer, fala. Mas não diz que vai fazer, deixa de fazer sei lá por qual razão nobre e humanitária hahahahahaha que somente o estag conhece, e ainda acha que está certo. A negativa pra fazer alguma coisa que eu passo tem que vir ANTES, não depois.

Mas, independentemente do que escrevi aí em cima, ainda acredito nos estags. Minhas experiências anteriores foram excelentes e, se tivesse como, eu juro que traria meus ex-estagiários pra trabalhar comigo.

2 comments:

Gisa said...

Nossa... lembrei da Luana contando do Orc! Na minha època de estagiaria eu fazia tudo tao certinho... as coisas devem ter mudado hahahaha!

Luana said...

Supervisionar estagiário não é tarefa pra qualquer um: o supervisor tem que ter paciência, tolerância e vontade de ensinar. E tudo isso, eu tenho - ou seja, eu nao posso! hahahaha

Serio.. eu explico uma, duas, três vezes... na quarta eu ja dou voadora na cara... hahahahaha

Sou cruel!

ps. tira essas palavrinhas de controle dos comentários! Coisa chata!