16 March 2012

Copiando Post de Amiga

Então que não é segredo pra ninguém que eu acesso sempre o blog da Luana. Sim, uma das minhas leitoras que tornaram este blog I.N.T.E.R.N.A.C.I.O.N.A.L.! Se vc também é um(a) leitor(a) internacional, dá um toque e faço um post bonitinho pra vc!

Um dos posts que me chamou a atenção no blog dela, foi esse daqui. Não vou resumir o assunto do post, que é pra todo mundo criar vergonha na cara ler o blog/post, mas posso adiantar que tem TUDO A VER com o que segue. O título é "Cantadas Élficas", e ela fecha o blog com uma pergunta: "Ja sofreram com alguma cantada bizarra?".

Assim, quando li o post, não lembrei de ter levado nenhuma cantada sem noção. Nem lembrava de ter levado cantada alguma vez na vida, pq normalmente, nos meus idos tempos de pessoa solteira, era eu quem tomava a iniciativa. Quando fui reler os comments do post em questã, teve um que acionou um gatilho na minha mente: SIM, eu já levei cantada sem noção! No ano passado!

Pra quem não lia o Eu, 31 33 anos, Tentando Emagrecer: até o ano passado eu fazia academia. Musculação, mano, pq eu sou Linda/ABSOLUTA/Eu Sou Stefhany danada pra erguer peso, véi. Todo dia chegava em casa, lá pelas nove e meia da noite, toda trabalhada no suor maledeto look fitness que só quem frequenta academia sabe e entende.

Aí, dia desses, eu voltando pra minha casinha, cansadinha e suadinha e toda descabeladaça, vejo uma Harley. Não uma simples moto, mano, uma HARLEY DAVIDSON. #TodoMundoGrita

Essa sim, é linda e absoluta!
Não sei pq, mas desde criança tenho duas paixões: tatunage e motos. Harley Davidson não é moto, é HARLEY, mas mesmo assim, eu AMOAMOAMO. E ver, ao vivo, tão próximo da casa da gente, alguém em uma HARLEY, é quase um evento - assim como no dia em que eu fiquei completamente paralisada ao ver uma Ferrari, em Curitiba, quando ia fazer um curso de Processo Civil.

Bem, voltemos. Eu fiquei encarando a Harley, que era maravilhosa, virando o pescoço pra trás, tentando guardar na retina e no cérebro, pelo maior tempo possível, aquela imagem. Juro q nem percebi que tinha um senhor em cima dela! Eu só tinha olhos para a Harley, só olhava a Harley, só queria a Harley.

Assim que comecei a subir a minha rua (moramos em um conjunto cohabístico - e muito me orgulho de morar lá), ouvi um barulho de motor. Não exatamente um motor qualquer, de carro, moto ou monareta (alguém aí lembra quando a Caloi lançou?), mas de um MOTOR de respeito. Pra evitar ser atropelada, olhei pra trás. Quando dei por mim, era a Harley e seu ocupante, que me cercaram NO MEIO DA RUA, quase 10 da noite!

Como eu possuo um complexo de Chapeuzinho Vermelho, fiquei esperando o pedido de informações. No que o senhor me falou "oi, vc está sozinha?". E eu "pois é, indo pra casa". Ele vira e fala "podemos conversar?" e eu "sim, mas meu marido está me esperando em casa". Lembrem-se que, apesar de namorar com o Fá há mais de 6 anos, ainda não casamos...

Nesse meio tempo, eu já estava tentando fazer minhas pernas pararem de tremer, pra conseguir correr o suficiente até chegar na casa de um vizinho que eu conhecesse! Nota: eu dificilmente converso com os vizinhos, e os poucos que eu REALMENTE conhecia se mudaram ou morreram.

O senhorzinho vira pra mim e fala "mas vc não pode conversar nem um pouquinho comigo?" e eu "não, tio, eu realmente tenho que ir para casa" - olhando para todas as casas da rua e rezando para que alguém, qualquer um até o vizinho que LITERALMENTE faz me#$a no meio da rua, aparecesse nessa hora. O senhorzinho viu q dali não ia sair nada, fechou a cara ofendido E irritado, e disse "então tchau".

Nessa hora, grudei no meu celular e, faltando menos de uma quadra pra chegar em casa, olhandodiretopratrásmorrendodemedo, fiz q nem criança: liguei pro meu pai, desesperada, PAIVEMMEENCONTRARAQUINARUAPELAMORDEDEUS!

Não perdi meu amor pelas Harleys, continuo olhando amorosamente para todas, mas que agora eu sempre lembro de observar quem está em cima delas, lembro. Pra não dar deixa de "estou te querendo, baby", pra ninguém. Nem homem, nem mulher, nem cachorro, nem orangotango, nem Pokemón.

5 comments:

Luana said...

Vc olhou tanto pra moto dele que o tio achou que vc estav afim dele... hahahha

Podia fazer um filme "Herly e eu!"

Ta, essa foi pessima!

Gisa said...

Eu tambem me amarro numa Harley! Fugindo completamente do objetivo do seu post: tem um senhor colega nosso, podredericomilionario que comprou o ULTIMO modelo! Cara, que inveja, INVEJA. E o meu Henry, judiaçao, tao tradicional, sò se amarra na "Scooter". Hunfs.
Outra coisa alucinante que vi aqui uma vez foi um desfile de Harley... tinha umas 50! Cara, que emoçao, emoçao, emoçao. Lindo de morrer!
Agora, voltando ao Post - eu tambem ficaria com medo! Mò medo mesmo!
Bjaooo

Cambaxirra said...

Ahhhhhhhhhh... como assim não vai seguir meu blog rosa-restart de figurinhas? Sou emo, eu choro!
Hahahahaha!
Ri muito com o seu post, eu sempre tenho esse problema. Sou pirada em motos (Harley sempre, né?) e carros, então quando vejo um clássico, acabo passando a imagem errada. Vontade de andar com uma placa na bolsa: meu senhor, estou babando pelo seu carro/moto, não por você! Entendeu ou quer que eu desenhe?"

Neanderthal said...

Grazzy, eu não posso ver uma moto que já quero subir na garupa.
Já falei que enxergo mal???
Duas vezes aceitei carona pensando se tratar de um conhecido e só depois de ter entrado no carro me toquei que não era um parente.
Uma delas, eu subi na moto, a pessoa me levou até em casa, eu até estranhei que o cara tivesse me perguntado aonde eu moro e talz, mas quando ele tirou o capacete que notei que NÃO ERA O MEU VIZINHO DA FRENTE!!!
AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH Entrei em casa correndo!

Geíza Bolognani said...

Essa foi ótima, lembrou uma minha... vou ver se escrevo lá no blog também... post da Luana e seu elfo sem noção dando crias, rs.
Ah, também sou parada numa Harley!