27 February 2005

Post 1: para constar

Jah vi q, pelo menos, a galera q me conhece, tanto pessoalmente qto de outros blogs, estah lendo o que escrevo (valeu a todos). De modo q estou ateh recebendo algumas consideracoes!!!!
Me matei de rir hj, qdo meu irmao veio me dizer q leu meu blog e q daqui a pouco vou estar postando texto da Playboy (eh, eu leio Playboy e gosto, e daih?). E recebi um e-mail da minha Amiga "A" (amiga com A maiuscula, pq merece, e soh nao coloco o nome dela aqui pq nao sei se ela ia curtir), em relacao aos regionalismos:
"Não podemos esquecer dos nossos Atores Curitibanos e Paranaenses.Marjorie Estiano - Natasha da Malhação.(Curitiba-Fazendinha)Wagner Weber - Girafa Feio Da Cor do Pecado.(Curitiba)Guta Stresser - Bebel da Grande Familia.(Curitiba)Alexandre Slavieiro - Kiko da Malhação.(Curitiba) Luis Mello, Leticia Sabatella, Etc,...Tirando os Grandes Atores consagrados que são daqui do Paraná".
Complementando o post sb regionalismo: temos uma galera q faz musica - e muito boa, por sinal - aqui do sul, mas a galera esquece de mencionar as duas coisas: a propria Marjorie Estiano, por exemplo, eh da minha cidade e canta muuuuuuito. Sem contar q a musica, inclusive, jah entrou no cd da Malhacao, e isso nao eh para qqer um, concordam?
Indo mais para o sul, tb temos bandas show de bola: Duble, Engenheiros do Hawaii, Familia Lima, Comunidade Ninjitsu (todos RS), Dazaranha(SC), Dr. Smith, Soulution Orchestra, Mr. Vain, Sex Machine (todos PR)...
E os nossos atletas? Daiane dos Santos (ginasta, RS), Camila (ginasta, PR, estudou no Madre Clélia), Tcheco (jogador de futebol, PR, jogou no Coxa), Gralak e Ricardinho (jogadores, PR, jogaram no MEU TRICOLOR)...
Como podem ver, temos vários segmentos na cultura brasileira - e ainda fazem pouco caso de nos... Assim, sulistas, galera do centro-oeste, nortistas, nordestinos, por favor, facam um favor ao pais: SE MOSTREM, nao comprem essa imagem pronta de que o Brasil eh lindo por algumas praias cariocas, noites paulistanas (nao, nao noites paulistas) e carnavais baianos...
Gazzy.

1 comment:

Karinassa said...

Então, Grazi,

Como eu já disse, sou veementemente contra regionalismos (embora respeite suas opiniões).

Sabe, a SK tem me proporcionado coisas maravilhosas: eu tenho um leitor de Belém do Pará, por exemplo. Se trata do Adelino e ele tem me ensinado coisas que vão muito além da matança de freiras americanas e engajadas, sobre aquela região.

Ele é um publicitário e fez uma das campanhas mais bonitas sobre o dia da mulher que eu já vi, que irá para a SK oportunamente.

O Adelino me apresentou uma banda chamada Suzana flag, cujo cd terá que me mandar por sedex, de tão boa.

Do Rio Grande do Norte, tem a Adriana, fã do Roberto Carlos e que escreve super bem.

Tenho outros leitores de Brasilia: Liciane e Ivaí, que, apesar de super novinhos, têm me mostrado como Brasília vai muito além da capital da Federação. (em matéria cultural acho dispensável falar da cidade, uma vez que é o berço de boa parte da geração oitentista do rock).

Ah, e os Paulistas!!! O que falar deles? Julio, Lelê, Tuca, Luiz do bem, Luiz do mal... cada um deles tem uma peculiaridade, mas todos, sem exceção, são impagáveis. E eu nunca conversei sobre a náite paulistana com eles.... Eu gosto tanto deles que, em abril vou para lá, conhecê-los pessoalmente.

E o Ronald, minino prodígio carioca de 16 anos??? Uma das criaturas mais surpreendente que eu já conheci!!!

Sim, tive surpresas do Sul. Aqui de Curitiba tem a Pamela. No interior do Paraná (cidade cujo nome estou proibida de revelar, porque ele sustenta o anonimato) tem o João Artureno.

Do Rio Grande do Sul tem a outra menina prodígio: a Camilla. Tem ainda o Bernardo, a Roberta e, recentemente, descobri o Maicon.

Enfim, Gasi, isso tudo foi pra dizer que em tudo que é lugar tem gente legal e gente não legal. Acho que um dos piores pecados que podemos cometer é classificar as pessoas pela região que elas nascem.

Minha irmã está morando na Suiça desde maio. Na Europa, Grazi, Curitiba não é primeiro mundo. A Tati, apesar do aspecto caucasiano, do inglês e alemão fluente, da cidadania européia e, ainda, apesar de ser a melhor aluna na pós-graduação dela, é, de vez em quando, tratada como cucaracha. E isso dói muito em nós, lá de casa. somos atingidos na nossa nacionalidade quando perguntam a ela se ela conhece escada rolante, por exemplo. Ou Quando tentam ensiná-la sobre o que seja um prato de sopa.

Tenho um leitor de Lisboa, que tem me ensinado que, na Europa, Portugal equivale a Surinami. É um paiz pobre. Ele também me conta que sofre restrições por outros europeus.

Sim, Grazi, sou Curitibana, mas, sinceramente não é algo que me dê extremo orgulho. Eu gosto da minha terra e vou lutar para melhorá-la, mas tenho mais orgulho do que sou e de quem é quem me cerca, sejam sulistas ou não.

Inclusive você, que se fosse nordestina faria parte do meu rol de amizades da mesma maneira.