14 October 2012

A Necessidade de Irmãs na Vida de Alguém

Então que, embora eu não seja filha única, sou a única filha dos meus pais - o que significa que não tive irmãs explicando a piada pro caso de virem leitores eventuais com analfabetismo funcional, o que não é o caso dos meus amigos leitores queridos e que regularmente me visitam. Tive 2 irmãos homens, mais novos: Au-Au e LeLê. Não bastasse isso, tive mais primOs do que primAs da minha idade. As primas que tive, nasceram depois e com uma diferença de cerca de 4 anos, que qdo se é criança, é uma diferença colossal. Dessa forma, tive mais amizades masculinas do que femininas Au-Au nasceu justamente na época em que comecei a ser alfabetizada e, até hoje, consigo fazer com que rapazes me entendam melhor do que as moças.

Convivendo mais com homens do que com mulheres, obviamente passei a ter alguns comportamentos tidos como "masculinos": tomar a frente nas questões, dar a cara a tapa no colégio, ser competitiva (embora não parecesse!)... E as coisas tidas como "femininas" me deixavam arrepiada: ser delicada, meiga, feminina, recatada, falar baixo, sentar de pernas cruzadas, me arrumar, me deixavam de saco cheio e eu realmente acreditava que era "coisa de menininha", haahahahhahahahaha. Ou seja, eu era uma contradição ambulante, desde a mais tenra idade. O maior traço de feminilidade que eu tinha era o desejo de ser professora e de casar sim, penso em casar desde os 3 anos de idade, segundo consta do arquivo da família C.

Aí vc pensa "e daí q vc não teve irmãs? O q isso muda na sua vida?". Tenho uma tese. Qualquer psicólogo formado vai querer rebater, vai querer dizer que não é bem assim, mas eu vejo algo nas minhas amigas que, SIM, têm irmãs do mesmo sexo; e é algo que eu vejo tb entre Au-Au e LeLê: a identidade entre irmãos. Não é que nem quem tem UM irmão do sexo oposto, que tem uma amizade, uma afinidade, um carinho. É uma cumplicidade maior. Como se tivesse um acordo implícito, não escrito, não verbal, sei lá, de que um irmão vai entender o outro só de olhar pra ele. Não é que eu não tenha isso com Au-Au ou LeLê, só não é IGUAL o que eles têm.

Além disso, eu sinto falta de ter uma irmã. Alguém que, se eu estiver de TPM, possa chamar pra fazer as unhas no final da 4a. feira, que por mais coisas que ela tenha pra fazer, não vai deixar de atender. Por mais que minhas amigas SATC Sex And The City QUEIRAM fazer isso, e se DISPONHAM a fazer isso, não dá pra contar sempre, né? Pq todo mundo tem sua própria carreira, sua própria casa, seus próprios problemas, sua própria família. E por incrível que pareça, gente, eu JURO QUE ENTENDO qdo elas não podem me atender - pq nem sempre eu vou poder atendê-las, tb.

Se eu tivesse uma irmã (de sangue, saca?), talvez eu tivesse um estilo de vestir diferente. Talvez eu fosse mais vaidosa, fosse mais competitiva com mulheres - no sentido de ser mais magra, ser mais bonita, com melhor cabelo, com a bolsa mais bonita... Como tudo na vida, tem um lado bom e um lado ruim. O lado bom de não ter tido uma irmã talvez tenha sido não ter desenvolvido certas picuinhas que vejo algumas amigas mostrarem, e que eu JURO não entender qdo elas fazem. O lado ruim eu já expliquei: não ter uma mulher que esteja comigo, impedindo de comer chocolate quando não devia, dando força na dieta, pra ir no shopping ver roupa... São coisas que é diferente de se fazer com a mãe a minha Sra. Smith pode me confirmar.

Eu queria muito ter tido uma irmã. E só me toquei disso perto de fazer 34 anos. Se bem que, se eu tivesse uma irmã, provavelmente seria mais fútil do que sou e não assumiria minha idade, pq né...

6 comments:

Luana said...

Olha, eu tenho DUAS irmas e nao eh assim como voce acha que eh... Tem afinidades, claro, mas eu me dou melhor com meu irmao... Na verdade o que acaba acontecendo eh que meninas competem, por melhor relacao que elas tenham...
Eu amo muito as minhas irmas, mas se eu tiver que chorar as pitangas por algum motivo eu conto primeiro pro meu irmão, depois pra elas (na verdade pra uma so, porque a mais nova so tem 15 anos)

Fulana said...

kkkk eu só tenho um irmao e algumas vezes tb senti falta de ter uma irmã, pra poder fazer nossas 'coisas' de meninas, fico com aquela sensação de que ia ser a maior alegria em casa! a gente brincando juntas, depois mais tarde saindo juntas e tudo mais! ter uma amiga ja em casa, assim qdo ficasse de castigo e nao pudesse sair, mamis nao ia poder me proibir de conversar com minha irmã, né?
mas na verdade cada caso é um caso, a gente sabe... podia ser que eu e ela (ou vc e a sua) fossem diferentes, mto diferentes na personalidade e no estilo, ou mesmo que nao se entendessem! vivessem brigando! uma pegando as coisas da outra e achando isso ruim! (eu e mamis fazemos muitas troquinhas e achamos otimo, mas irmãs podem morrer com isso...)
enfim, minha tia idealiza os filhos que nao teve e que supostamente seriam seus cuidadores na 3a idade. a julgar pelo numero de casos de abandono e violencia contra os idosos que atendo, receio que ela esteja melhor sem eles, mas nunca vamos saber.
eu queria poder dividir meus esmaltes com uma irmã! assim eles não estragariam e eu não me sentiria culpada de ter tantos! rs
realmente, nao sao sentimentos que se sustentem à menor luz de racionalidade...mas as vezes a gente queria certas coisas e idealiza elas. te compreendo!

Cristiano said...

Ou entao a sua irma iria comer com vc seus chocolates e por ai vai... :P

Geíza Bolognani said...

Ah, sei lá...
Tenho 2 irmãs, 3 tias, trocentas primas diretas, fora as de segundo, terceiro, nono grau... e ainda tenho as adjuntas, as do coração, as virtuais - sex and city - claro que isso deve ter influenciado minha vida. Somos nós e nossas circunstâncias... claro!
Ainda assim não me sinto nem nunca fui uma Barbie. Sei lá, talvez por ser a mais velha (como vc), a gente tenha tanto em comum. Me identifico muito com muito do que vc escreveu. Sobre não comer chocolate... aff, não sou exemplo. Mas dou todo apoio se o que está buscando é cuidar mais da saúde. Se quiser posso bancar a irmã chata, sou expert nisso, kkkkkkkkk. Sobre fazer unhas, puxa, vc é mais vaidosa do que eu, pode apostar... sou capaz de passar semanas sem passar nem base. Só me ligo quando tem uma festa ou evento mesmo.
BEIJÃO

Natália T. said...

Verdade.. Isso que você falou é bem verdade. Acho que se eu tivesse uma hermana, eu seria mais vaidosinha, mais menininha, mais mocinha.. e menos moleca. Veja bem, eu não tenho irmãos... mas eu cresci sempre brincando mais com meninos do que com meninas.. brincando com primos, não tinha primas.. entonces...

Mas, no final das contas? Acho até bom. Não gostaria de ser dessas menininhas frescas cuja diversão é ficar testando maquiagens.. ahhh.. sei lá.. acho boring! hehe

Bjoo!

ps.: tá sumida pq? faça mais posts =(

Srta. Forte said...

Tenho duas irmãs, e digo: realmente elas influenciam muito a vida da gente! Mas tem coisas que mesmo com a influência delas não mudam na gente: como eu não ter o hábito de fazer as unhas (apesar de elas fazerem religiosamente) e eu nunca brigar com o meu cabelo, deixar ele ser como quiser ser, enquanto elas travam batalhas com a chapinha... rsrs!
Beijos!